Pesquisar este blog

27 de dez de 2010

AMOR SEM CIÚME NÃO È AMOR

                          Liciane enxugava as lágrimas com as mãos, quando a mãe entrou na sala  :
_  Está  chorando ? Aconteceu alguma coisa ?
-          Li no jornal a história do namorado  ciumento  que matou a mulher amada com cinco  facadas .
-          Mais um crime passional.....coisa horrível ! – Comentou a mãe.
-          Horrível, não ! É lindo matar ou morrer por amor !
-          Isso não é amor. É loucura.
-          Ah mãe....amor que é amor....tem que ter uma dose de loucura....brigas...ciúmes.... Adoro cenas dramáticas. Gosto de viver perigosamente.
-          Você tem cada uma minha filha !!.....

A conversa foi interrompida pelo som do telefone. Era Tavinho.
Namoravam há dois anos. Ele  desejava  casar, mas Liciane andava  desanimada com o relacionamento. Acreditava  que Tavinho não a amava o suficiente  . Faltava na relação  a emoção que ela tanto queria viver.  Liciane achava tudo certinho e monótono demais. Por isso vivia questionando os sentimentos do futuro noivo   :
-          Você me ama ?
-          Amo.
-          Então por que  não sente ciúme ?
-          Confio no meu taco. Você não confia no seu ?

Aos poucos, os questionamentos  de Liciane, viraram uma obsessão. Quem  escutava seu desabafo era a amiga de infância Noêmia:
-          Não me ama. Se  me amasse me proibiria de sair de casa. Não me deixaria olhar para outro  homem . Sentiria ciúme.....desconfiaria....
-          Você queria que ele fosse como  o Walfrido ? Vive me regulando pelo celular ? O que você tem na cabeça ? O Tavinho confia em você.
-           Sou romântica . Acho o máximo morrer de amor ! Matar por amor ! Imagina : assassinada na Avenida Presidente Vargas ? Saíria em todos os jornais : Noivo enciumado mata noiva com três tiros . Ficaria famosa.
-          Famosa depois de morta ? Vou mandar sua mãe levar você ao psiquiatra.

Liciane estava disposta a testar o amor de Tavinho. Levou-o na consulta ao ginecologista para  fazer-lhe ciúme.
-          Me espera aqui fora, enquanto vou me consultar.
-          Espero.
-          Não quer entrar  ?
-          Pra quê ? Isso é coisa de mulher.
-          Mas o ginecologista é novo, bonito e mulherengo !?
-          Confio em você.
Liciane se frustrou e  desabafou com o médico:
-          Meu namorado não quis entrar. Todo namorado  quer acompanhar o exame ginecológico  da namorada.
-           Deveria se orgulhar. Sinal que seu namorado respeita você.
-          É um banana doutor. É capaz de me entregar de bandeja para outro homem. Não me ama. Se me amasse sentiria ciúme . Faria um escândalo. Sou feia doutor ? Me diga : Sou feia ?!

-          Com todo respeito, você é uma mulher muito bonita. Seu corpo é perfeito. Qualquer homem se orgulharia de ter você como namorada.
Quando saiu da  consulta encontrou Tavinho lendo revista . Ainda tentou provocá-lo   :
-          O Doutor Adalberto disse que sou uma mulher linda. Que todo homem teria orgulho de me namorar.
Tavinho não se abalou :
-          Ele tem razão. Você é uma mulher linda , por isso vamos nos casar.
Liciane mordeu os lábios e se ressentiu com a suposta indiferença de Tavinho. Ela pensou que ele não era como os outros homens : nunca fazia cena de ciúme. Sentia  por ela um profundo descaso. 
Na festa de aniversário de Noêmia, Liciane, mais uma vez,  tentou fazer ciúme em  Tavinho . Dançou com todos os rapazes . Como ele não gostava de dançar,  ficou conversando com Walfrido :

- Você dá muito mole. Deixa a Liciane  se esfregar com outros caras. 
-          Se esfregar, não, dançar. E se ela não quiser ficar comigo é só terminar o namoro. É um direito dela. Está comigo porque quer.
-          Vai pensando assim. Quando casar vai ser corno. Trato a Noêmia no laço...não dou folga. Se me cornear já sabe: mato !

Foram pra casa brigando:
-          Você não me ama. Me deixou dançar com todos os homens da festa e não fez nada.
-          Dançar não arranca pedaço. E todos na festa sabem que vamos nos casar .
-          Casar ? Como vou casar com um homem que não sente ciúme de mim ?
-          O que você quer ? Que  faça um escândalo ? Grite ? Bata em você ? Não  é meu estilo.  Não sou de briga.
Os ataques de Liciane já o estavam deixando sem paciência. Não entendia as atitudes da mulher com quem pensava casar.
Quando no  Domingo,  disse a Liciane que não passaria na casa dela, para ir  ao Maracanã ver a decisão do campeonato  ,  o mundo veio abaixo :
-           Domingo  ?  Vai me deixar sozinha  ?
-           Futebol é sagrado. Hoje é decisão de campeonato. Não perco por nada.
Revoltada e se sentindo rejeitada , gritou  :
-          Vai me pagar Tavinho !  Quero ver se não vai sentir ciúme de mim dessa vez! Quero ver!  Vou chamar a atenção de todo mundo ! Vai ter que tomar uma atitude!

 Tavinho não se importava com as ameaças de Liciane. Para ele decisão de campeonato era mais importante do que os caprichos da namorada .  Adorava ver  o Maracanã lotado .
Quando o juiz deu início a  partida,  entrou em êxtase . Dez minutos depois de iniciada, quando o jogo começava a esquentar, uma mulher nua invade o gramado. Tavinho reconhece logo : era  Liciane  !
Surpreso  com a atitude desvairada da namorada foi embora  do estádio  envergonhado, diante da gozação dos amigos .
Enquanto  o estádio gritava em coro : Gostosa ! Gostosa ! Piranha ! Piranha !
Liciane era retirada do gramado por dois seguranças.

Acabou trocando  o amor sem sal de Tavinho, pela  fama meteórica . Contou a história de sua nudez para rádios, jornais e  programas de fofoca televisivos. Além disso, posou nua  para  revistas masculinas e passou a cobrar cinco mil reais para permanecer meia hora nas festas de famosos. 



Adquira o livro Só as feias são fiéis diretamente no site :http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  



20 de dez de 2010

Cenas de um casamento.....

- Comprou ?
- Comprei. Vê se gosta.
-  O quê ? Você acha que eu vou ter coragem....
- A mulher da loja me garantiu que vai apimentar nossa relação.
- Não dá. Manda trocar.
- Veste. Vai. Sempre tive vontade de te ver vestido assim.
- Tem certeza ? Não vai dar certo.
- Vai. Se veste no banheiro. Te espero deitadinha cheia de amor pra dar...

Quando o marido saiu do banheiro vestido de Papai Noel , os dois caíram na
gargalhada. Terminaram a noite trocando presentes e comendo rabanadas.

13 de dez de 2010

O ACORDO

Da janela do décimo andar viu quando o motoqueiro descarregou a arma no marido. 
Na calçada, a vítima agonizava, enquanto curiosos se aproximavam, aos gritos. 
Fechou as cortinas e deu um sorriso sarcástico.
Ligou para o assassino. 
Combinaram um encontro. 
Precisava pagar a outra metade do acordo.



 Adquira o livro Só as feias são fiéis diretamente no site :http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  


7 de dez de 2010

DO OUTRO LADO DA LINHA

                                        
Rogério olhou o relógio e tomou um susto : seis da tarde. Fim de expediente. Ligaria para Soninha e combinaria de passar na casa dela. Discou o número e esperou a namorada atender. Do outro lado da linha atendeu uma voz de mulher que ele não conhecia :
-          Por favor , a Soninha ?!
-          Soninha ? Quem está falando ?
-          É o Rogério. Namorado dela.
-          Aqui não tem nenhuma Soninha.
-          Ah desculpe. É engano.
Ia desligar.  A voz do outro lado, bonita e sensual, puxou assunto :
-          Eiiiiii..não serve a Melissa ?
-          Melissa ? Não. Eu quero falar com a Soninha. Desculpe
-          Me chamo Melissa. Adorei sua voz.
-          Obrigado. Mas preciso desligar. Tenho que falar com a Soninha.
-          Deixa a Soninha para lá. Você não quer me conhecer ? Não vai se arrepender.
Um arrepio percorreu o corpo de Rogério. Aquela voz sensual despertou nele um interesse sexual grande;
-          Faz o seguinte Melissa : me dá seu telefone que eu ligo de volta...
-          Não entendi. Está desconfiando de mim ?
-          Você pode ser amiga da Soninha. Quer que eu caia numa cilada..não sou bobo..
-          Amiga da Soninha ? Você tem uma imaginação fértil, hein ? Está com medo de quê ? Fala....confessa....você também gostou de mim.
-Tá , eu confesso....você tem uma voz linda. Mas voz engana....
-Você quer saber como eu sou ? Eu digo....
-Tá ! Me diz como você é, então.
-          Sou alta, magra, corpo malhado em academia, cabelos pretos, longos, olhos amendoados....e tenho só 20 aninhos...e você ? Como você é Rogério ?
-          Eu sou alto, branco, estou precisando dar uma malhadinha....
-          Hummmmmm adoro homens com barriguinha sensual....já vi que vou gostar de você. Vamos nos encontrar ?
-          Desculpe Melissa. Eu tenho mesmo que ligar para a minha namorada. Ela deve estar me esperando.
-          Há quanto tempo vocês namoram ?
-          Uns três meses..
-          Pouco tempo....você está apaixonado ?
-          Gosto dela. Apaixonado ? Não. Nunca me apaixonei por ninguém.
-          Então vai se apaixonar por mim. Quantos anos você tem ?
-          Eu tenho 26.
-          Adoro homens na sua idade. São sensuais.....fortes.....viris....quando é que a gente vai se conhecer ?
-          Já disse para você me dar o seu telefone . Eu ligo depois pra você.  Antes preciso ligar para a Soninha . Vai gata, me dá seu telefone.
-          Ah não....vou fazer biquinho....olha o meu biquinho....quero você agora.....vamos nos encontrar. Estou cheia de tesão.
Rogério coçou a cabeça. Olhou o relógio. Daqui a pouco Soninha ia ligar para o celular dele furiosa. E ele com outra no telefone....Rogério estava ficando excitado também. Resolveu levar o papo adiante:
-          Você também está me excitando. Sua voz macia está me deixando louco....quem é você , gata ?
-          Sou a mulher da sua vida. Estou esperando por você. Nada é por acaso. Não foi por acaso que você errou o número da sua namorada e ligou para a minha casa.
-          Tá ....mas me dá o número da sua casa. Eu ligo de volta.
-          Não acredito em você. Se você nunca mais me ligar ? Essa Soninha pode ser invenção sua.....como vou acreditar em você ?
-          Me dá seu telefone. Juro que eu ligo. Estou  interessado em você . Gosto de mulheres ousadas.
-          Vou te dar o meu celular. Você me liga agora ? Agorinha ? Jura ?
-          Juro. Vou ligar de volta.
-          Se eu der o número do meu celular para você , vamos sair hoje  ?
-          E a Soninha ? Não posso dar bolo na namorada sexta - feira á noite.
-          Inventa que foi levar sua mãe ao médico. Você tem mãe ?
-          Tenho.
-          Então. Uma boa desculpa. Aí se a gente se conhecer e você gostar de mim, é só  terminar com a Soninha
-          Tá. Deixa de papo e me dá o número do celular. Anda. Vai.
-          Anota aí : 9929........
-          Anotei. Te ligo já.
Rogério desligou o telefone. Melissa excitada tirou o celular da bolsa. O telefone tocou. Atendeu com o coração aos pulos.
-          Não disse que ligava , gata ?
-          Já vi que você é um homem de palavra. Então, vamos ou não vamos sair ? Estou morrendo de vontade..
-          Você não é fácil, hein gata ?
-          Já disse : adorei a sua voz..você parece um homem que chega junto...sua voz está me deixando louquinha....
-          Eu também. Estou cheio de vontade. Como é que a gente  faz ?
-          Aonde você está ?
-          No trabalho. No centro da cidade.
-          Eu também. Me dá seu endereço que eu já me encontro com você.
Combinaram de se encontrar em uma hora na porta do trabalho de Rogério. Enquanto isso ele ligaria para Soninha e daria uma desculpa qualquer.
-Então combinado. Vou descer e te esperar na portaria daqui a uma hora. Você está com uma calça jeans, blusa preta....
-          É isso mesmo. Já estou de saída. Não vejo a hora...até já.
Desligou o celular. E gritou por Soninha :
-Soninha ? Já acabou de tomar banho ?
Soninha apareceu só de toalha na sala :
-Alguém me ligou ? Rogério ligou ?
-          Até agora não.
-          Ué, vai aonde com essa bolsa ?
-          Urgência, amiga. Minha mãe ligou para o meu celular agora. Quer que eu vá na casa da tia Esmeralda com ela. Amanhã a gente se fala..
-          Queria tanto que você conhecesse o Rogério. Homem como ele não existe : romântico.....amigo.....estou tão feliz amiga.
-          Outro dia você me apresenta. Lembranças ao Rogério . Preciso ir. Te adoro amiga.  Beijinhos.

 Adquira o livro Só as feias são fiéis diretamente no site :http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  

30 de nov de 2010

TEMPOS MODERNOS - parte II

-Terminou ?
- Sim . Estou arrasada.
- Mas vocês não iam se casar  ?
- Íamos, né ?
- E então ?
- Ele desistiu. Fazer o quê ?
- Sacanagem. E disse o motivo ?
- Está apaixonado por outra.
- Cara de pau ! Assim na lata ?
- É. Disse que nunca esteve tão apaixonado na vida.
- Quem é ela ?
- Não vai acreditar.
- Já sei. A piranha da Heleninha.
- Nada.
- Do trabalho ?
- Não.
- Conheceu na balada ?
- Você não vai adivinhar.
- Então diz logo. Anda.
- Amor virtual. Conheceu a mulher no MSN.

21 de nov de 2010

TEMPOS MODERNOS

- Ele apareceu ?
- Apareceu.
- E como foi o encontro ?
- Uma porcaria.
- Vocês já não se conheciam pela cam ?
- Já
- Não falaram durante quase um ano por msn ?
- Sim.
- Trocaram fotos ?
- Várias.
- Ele não faz parte dos seus sites de relacionamento ?
- Faz.
- Longos papos pelo telefone ?
- Sim
- As afinidades não eram grandes ?
- Enormes
- O que aconteceu ?
-  Ele tem um mau hálito insuportável. Quase desmaiei.

14 de nov de 2010

O ANIVERSÁRIO DA TIA VITÓRIA

                                        O aniversário da Tia Vitória


Quando Albertino Junior chegou na festa de oitenta anos de Tia Vitória, houve constrangimento entre os familiares.
Com uma saia justa preta , blusa de renda amarela, sapatos plataforma prateado e peruca loira, Albertino entrou de mãos dadas com o novo namorado, Olavinho.
Olavinho é desses homens  que confunde-se com um príncipe do século vinte e um. Alto, moreno, olhos verdes, musculoso , dentes alvos e  sorriso encantador.  Assim que chegou, atraiu a atenção das primas  solteironas do namorado, que comentaram invejosas:
- Gislene, que mundo é esse ! O que é isso ?   Nós aqui sozinhas e o gayzão do Albertino com este homem lindo.
-  Ele está escancarando ! Não disfarça mais a viadagem. Assumiu mesmo.

Albertino chegou sorrindo sem demonstrar a  menor vergonha e foi  abraçar a aniversariante  :
- Tia linda, fofa, espero que a senhora goste do que comprei.
Aproveitou e apresentou Olavinho  como futuro noivo.
Em seguida,   Albertino foi falar com o restante da família e  tia Vitória começou a passar mal :
- Pega meus remédios da pressão em cima da mesinha de cabeceira do quarto, Cremilda ! Anda, rápido !
Alheio a confusão que se formou , Albertino  foi falar com as primas :
-Margareth  você está uma fofa ! Vestido maravilhoso. Adorei, prima ! A-do- rei !
Depois,   aproximou –se  de Gislene  passando  as mãos pelos  cabelos dela. Respirou fundo e  fez  cara de nojo  :
- Nossa Gis !! Você está com esse cabelo ressecadíssimo . Precisa de uma hidratação urgente. Passa  no salão. A  hidratação sai de graça pra você.
- E você como está ? Nossa, engordou mulher  !
Enquanto isso, Tia Vitória foi levada para o quarto com falta de ar.  Envergonhada, a mãe de Albertino se aproximou :
- Albertino, sua tia  passa mal por sua causa .
- O que é que eu fiz ?
- Chocou sua tia vestido desse jeito. Ela não tem mais idade para ver essas coisas.
- Que coisas mamãe ? Pelo jeito sou o único feliz aqui . Minhas primas são encalhadas e mal amadas. E  o primo Celinho ?  Me olha de cara feia .Ninguém mandou casar com aquele tribufu ao lado dele. Mulher horrorosa !
A mãe, inconformada com a atitude do filho único, olha para o alto se perguntando:
- Deus ,  onde errei ?
-  Você não errou. Me assumi ! Sou feliz.
No quarto Tia Vitória reclamava de falta de ar. Marinete, a irmã mais velha, rezava um terço excomungando o sobrinho.  Cremilda abanava Vitória :
- Você quer que eu peça para o Albertino ir embora ?
- Não ! – respondeu Tia Vitória rapidamente.
-  Albertino chocou você e choca os convidados . Atrapalha sua festa de aniversário.
- Chama ele aqui. – Pediu Tia Vitória com a voz abafada.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                            
Cremilda tentou argumentar. Vitória insistiu. Cremilda foi até a sala e encontrou Albertino dançando com Olavinho.
Celinho resmungava com a esposa de olhar caído :
-  Ridículo ter um primo traveco. Se  no trabalho descobrem.... Que vergonha ! O que vou dizer ao meu chefe ? Sou macho.
A esposa aproveita  a ocasião insólita e fala o que pensa :
- Macho ?  Sei não. Adora vestir minhas calcinhas.
Enquanto brigavam, Cremilda se aproximou e  cochichou no ouvido de Albertino. Ele acompanha  Cremilda até o quarto.  É recebido com  um sorriso por Tia Vitória. Ela  pega-lhe nas mãos e pede  que sente na cama ao lado dela.  Depois fala  baixinho  com o sobrinho . Ele dá uma gargalhada que ecoa no quarto:
- Então é isso ? Saudade, tia ?
- Exatamente.
- Realizarei  seu desejo. Licencinha meninas !
E sai empurrando as tias que estão na porta.
 Volta  acompanhado de Olavinho.
Olavinho se abaixa e beija  Tia Vitória na boca. Um beijo longo. De língua .Tia Vitória se levanta da cama. Dá  as mãos a Olavinho. Nos lábios,  um sorriso revigorante. Chega na sala e começa a dançar. Não larga mais Olavinho. Albertino sorri e fala com a mãe :
- Tia Vitória sabe o que é bom.
 Os convidados ficam boquiabertos com o assanhamento da aniversariante . Os comentários não pararam mais:
- Velha assanhada !
- Só pode estar esclerosada  !
Tia Marinete pegou a bolsa :
- É o fim do mundo. Vou me embora.
Na hora do parabéns,  Tia Vitória choca ainda mais  . Ela beija Olavinho na boca  na frente de todos os familiares e vizinhos.
Quem olhava a  tudo de um canto da sala, com olhar invejoso, esfregando as mãos e engolindo em seco  era Celinho.


 Adquira o livro Só as feias são fiéis diretamente no site :http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  

9 de nov de 2010

DESFEITA

Comprou uma torta
para comemorar
um ano de namoro.
Quando a namorada abriu o
embrulho, jogou-lhe
a torta na cara.
Detestava chocolate.

7 de nov de 2010

A RESSENTIDA

Chegou com a camisa
suja de batom.
Esperou-o dormir e
ferveu a água. Derramou
nos ouvidos dele e vociferou :
“Nunca mais serei traída.”

31 de out de 2010

O SORRISO DE ELISA

                                             O sorriso de Elisa

Perdi a virgindade aos quatorze anos. O nome dela era Elisa. Casada, vinte e cinco anos. Morávamos no mesmo prédio.  A primeira vez que eu a vi foi no elevador. Eu  dizia para um colega  que não gostava de Literatura e ficava puto quando a professora me pedia para recitar Álvares de Azevedo . Elisa me olhava  atentamente. Quando o elevador chegou no oitavo andar, ela pegou minha mão e me fez o convite :
- Aparece lá em casa amanhã. Apartamento 802. Comigo você vai aprender literatura.
- Quanto você cobra pela  aula particular  ? – Disse  inocente. -Tenho que falar com a minha mãe primeiro .
- É de graça. Mas não fala nada com a sua mãe. Segredo nosso.
- Valeu então , até amanhã.
- Espero você  ás 3 da tarde.

No dia seguinte não conseguia me concentrar na  aula. Pensava como aquela mulher com rosto de anjo, olhos amendoados  e cabelos cor de mel me ensinaria literatura.
Cheguei em casa e engoli a comida. Minha mãe me deu uma bronca. Argumentei que o Maurício me aguardava na casa dele para estudarmos . Mamãe respirou aliviada e colocou as mãos pro alto :
- Até que enfim esse menino começa a se interessar pelos estudos! Minhas preces foram atendidas !
Saí apressado. Meu nariz fungava de nervoso. Quando cheguei na casa de Elisa, ela me esperava com uma camisola  transparente. Fiquei envergonhado. Ela agiu naturalmente e me convidou para entrar :
- Trouxe o livro ?

Elisa me explicava a lição enquanto me alisava. No segundo encontro, assim que sentei no sofá , ela foi tirando a minha roupa e me  beijou na boca . Fiquei com medo da minha inexperiência . Ela percebeu e  me mandou relaxar. Obedeci e foi o grande acontecimento da minha adolescência. Passamos a nos encontrar três vezes por semana. Quando eu perguntava pelo marido, ela desconversava :
- É um bêbado mulherengo.
- Você gosta dele ?
- E isso interessa, por acaso, meu menino  amante ?

Era assim que ela me chamava. Nos encontramos, clandestinamente, durante dois anos . Numa sexta-feira chuvosa, esbarrei com  Elisa chorando no elevador. Ela me puxou pelo braço e me levou até seu apartamento. Fizemos amor gostoso. No dia seguinte, soube que se mudara.  Fiquei triste durante uma semana . Mas, nessa idade, tudo é passageiro, e eu estava apenas começando a me movimentar pelos bastidores do  delicioso jogo do sexo . Josué, meu amigo espinhento, foi quem abriu meus olhos :
- Porra cara,  te invejo ! Ainda sou virgem e agora, com toda a  experiência que você tem ,  poderá comer muita  xoxota.  

Passei a ser conhecido no prédio como o comedor. Dava dicas sexuais para a rapaziada menos experiente  e as garotas mais velhas quando sabiam de Elisa , me desafiavam. Queriam fazer  melhor. Dava duas trepadas no máximo com cada uma . Me tornei um especialista na arte do sumiço.
Quando completei dezoito anos já tinha uma boa quantidade de xoxotas na minha lista. Cobrava  para dar dicas aos mais novos.

Aos vinte, entrei para a faculdade de odontologia e passei a ajudar meu pai no consultório. Comi quase todas as clientes dele . Descobri que as mulheres são sonsas e sacanas. A maioria mal amada. Basta saber tocá-las que se entregam facilmente.

No dia da minha formatura conheci a irmã de uma colega de turma. Se chamava  Elisa. Lembrei na hora da minha primeira trepada. Terminamos a noite num barzinho.
Durante a conversa, coloquei minhas mãos nas belas pernas de Elisa. Ela deixou. Quando saímos do bar, tentei levá-la para o motel. Ela resistiu e me chamou de machista. Era o primeiro desafio sexual  da minha vida. Até conhecê-la, minha  fama de irresistível não tinha sido abalada.

Ensaiei um namoro para  levá-la pra cama . A arma maior de todo conquistador é a paciência. Levei dois meses só no papo. Consegui.  Depois de quatro trepadas, desencantei. Ia terminar. Elisa engravidou . Quase apanhei ao dizer para abortar.  Quando cheguei em casa, minha mãe me deu os parabéns :
- Já soube da novidade. Finalmente vou ganhar um  neto !

Me senti um  babaca. Tão metido a esperto e caí no golpe mais antigo, utilizado pelas mulheres, para prender um homem. Assumi a merda que fiz. No dia do casamento, Elisa me ameaçou no altar falando baixinho  :
- Sei das suas putarias. Ou você entra na linha, ou vai se ver comigo !

Nosso primeiro ano de casamento foi a pior fase da  minha vida. Elisa descobria minhas escapulidas e ia atrás dos meus casos tomar satisfação .
Pensei em sumir no mundo. Tive pena do meu filho recém-nascido. Não queria deixá-lo sozinho com a louca da Elisa.

Quando Junior  fez dois anos, pedi a separação. Elisa  engravidou novamente. Nova pressão da família. Adiei  minha liberdade.  Ela  me ameaçou  :
- Pensa que sou boba ? Você é meu  e de mais ninguém.
Não transávamos desde que ela engravidara do segundo filho . Planejava me separar após o nascimento da criança.

Planos quase nunca dão certo. O futuro pode ser desgradável. Foi assim comigo.
Como sempre fazia, cheguei do trabalho tarde da noite para não aturar as reclamações de Elisa.
A rua estava escura e silenciosa. Desci do carro para abrir o portão da garagem, quando senti um cano duro e gelado na minha testa. Olhei de rabo de olho e vi um cara armado. Meu coração disparou.  Ele cheirava a suor e maconha. Tentei  manter a calma. Levantei os braços e falei com cuidado   :
- Toma a chave do carro. Pode levar.

Drogado, o cara gritava coisas desconexas.  Argumentei acreditando que seria inútil  :
- Larga essa arma  rapaz. Leva o carro, vale mais do que eu.
Olhei pra minha casa  e vi a luz do  quarto acesa. Elisa estava na janela com um sorriso maquiavélico. Escutei ao longe o barulho de uma sirene. O matador engatilhou a arma. Me caguei todo. Detesto literatura. 

Este e outros contos você pode encontrar no livro Só as feias são fiéis pelo site da editora :http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  

21 de out de 2010

CANSAÇO

Exausta,
terminou o namoro
com Alfredinho. 
O Nada interior do rapaz 
fazia muito barulho.




Adquira o livro Só as feias são fiéis diretamente no site :http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  

16 de out de 2010

O ROUBO DA CUECA

Madame Gertrudes confirmou:
- Tem que ser cueca.
- Mas como vou conseguir?
- Dá seu jeito. Ou então não vai ter o que deseja.
-  E tem que ser usada?
- De preferência a cueca que ele estiver usando na hora H.
Leninha saiu da cartomante pensativa. Desde que Rosalvo terminou o namoro, não   conseguia dormir, nem comer. No trabalho já levara uma advertência e no início da semana Seu Almeida ameaçou-a com  demissão.
- Ou presta atenção no serviço ou  procuro outra pessoa para ficar no seu lugar!
Convivendo com o desespero de Leninha, a secretária do gerente indicou-lhe Madame Gertrudes.
- Deu certo comigo. Ela faz a pessoa amada voltar em uma semana.
- Jura?
- Juro. Se fizer direitinho o que ela pedir,  Rosalvo volta. Não tem erro.
No ônibus, retornando pra casa,  pensava, sonhadora, em uma  maneira de pegar a cueca do ex-namorado. Depois do jantar ligou pra amiga e confidente.
- Amanhã, depois do trabalho, passo na sua casa. Precisamos conversar.
- O que você aprontou?
- Tenho que contar pessoalmente. Até amanhã , Taty.
Castigada pela ansiedade, não dormiu direito. Acordou cheia de dor no corpo, mas feliz. Finalmente encontrara uma maneira de ter a cueca para fazer a amarração recomendada por Madame Gertrudes. Trabalhou empolgada. Seu Almeida notou a mudança e comentou:
- Não sei que bicho mordeu você, Leninha, mas sinto que hoje seu trabalho está rendendo.
Cinco da tarde bateu o ponto e foi direto pra casa da amiga. Taty esperava-a  curiosa.
- Passei o dia na maior expectativa pra saber o que você quer me contar.
- Adivinha?
- Se eu tivesse bola de cristal, estaria rica, queridinha. Fala logo. Deixa de suspense.
- Achei uma maneira de Rosalvo voltar pra mim.
- Pensei que você já tivesse desencanado. Ele não vai voltar pra você. Esquece o cara.
-  Como é que você sabe?  Fui numa cartomante.
- Sim e daí? O que ela lhe falou?
- Vou fazer um trabalho para trazer o Rosalvo de volta em uma semana.
- E você acreditou?
- Se fizer direitinho vai dar certo . Tenho que tentar.  E vou precisar de você.
- DE MIM?
-  Sim. Preciso de uma cueca do Rosalvo.
- E o que eu tenho a ver com isso?
-Adivinha novamente?!
- Menor idéia.
- Você vai pegar a cueca .
- Como? Entrando  na casa dele e roubando?
- Nada disso. Tem que ser cueca usada. Você vai seduzi-lo e transar com ele.
- Pirou? O cara era seu namorado. Você ainda gosta dele.
- Eu sei. Mas ele não quer mais  ir pra cama comigo. Nem atende minhas ligações.
- E  vai comigo?
 - Mulher quando quer, consegue. Inventa uma desculpa. Liga pra ele, coloca um vestido sensual e seduza-o .
- E  vai dar certo?
- Claro. Rosalvo é galinha.
-  Éeeeeee?
- É e com certeza está  ciscando em outro terreiro. Mas vou cortar isso. Quando a cueca estiver na minha mão, amarro ele de vez..
- É arriscado.
- Que risco você corre?
-  Tá bom amiga, já que insiste, farei um esforço porque gosto muito de você.
- Então vamos  ligar pra ele agora e marcamos logo o encontro. Tô ansiosa.
-  Deixa comigo.
- Tô ligando. Toma, tá chamando. Fala com ele.
Combinaram para o dia seguinte. Leninha comemorou.
- Não disse que seria  fácil?
No sábado Leninha foi pra casa de Taty ajudá-la a vestir-se.
-  Vai com esse vestido. Tá lindo! Ele gosta de roupas decotadas.
Leninha levou Taty até a porta :
- Espero-a aqui na sua casa . Quero logo a cueca na minha mão.
- E se eu voltar só amanhã de manhã? – perguntou,  sem graça.
- Voltando com a cueca, tá tudo certo.
Despediram-se. Com o coração esperançoso das apaixonadas, deitou-se na cama da amiga, acreditando ter encontrado o caminho para a  felicidade. Assim que Taty se sentou no banco do carona, Rosalvo entregou-lhe um embrulho.
- Trouxe a cueca usada que você me pediu. Pode me explicar direito pra quê isso?
- A Leninha.
- O que tem a Leninha? Aprontou com você?
- Foi a uma cartomante e....
- E o quê? O que tem minha cueca a ver com isso?
- Recomendaram um trabalhado de amarração com a sua cueca. Ela pediu para eu ajudar. Coitada.
- Você ainda não contou que estamos namorando?
- Tá doido? Ela me mata! Deixa como está.
Rosalvo balançou a cabeça negativamente :
- Mulheres!
Antes de dar a partida no carro, colocou un CD da Adriana Calcanhoto. Em seguida, fez um  cafuné em Taty e disse, com voz aveludada:
- Viu como me preocupo com você? Comprei o CD da sua cantora favorita.
- Te amo, Rô.
- Eu também.
                                                    ..............................
Adquira o livro Só as feias são fiéis diretamente no site : http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  

4 de out de 2010

CENAS DE UM CASAMENTO

Duciovaldo segura a arma com as duas mãos. Treme e tem pavor no olhar.

Com o coração aos pulos, Rose implora com voz de passarinho :
- Você não tem coragem. Você não é assassino !
Duciovaldo baba. Olhos vidrados na mulher.
Rose urina pernas abaixo.
Ele uiva.
- Vagabunda ! Vou te matar !
- Você não é assassino. Se me matar, vai preso.
- Me mato depois.
-  Vamos conversar.
Rose tenta se aproximar. Duciovaldo engatilha a arma.
- Se chegar mais perto, eu atiro. Não tô brincando !
- E os nossos filhos ? O que vai ser dos nossos filhos ?

Rose sente que Duciovaldo se emociona. Ela continua :
- Vão ficar sem pai e sem mãe. Orfãos. Vivendo de favor na casa dos outros.

Duciovaldo  enxuga com o antebraço, o suor azedo, que escorre pela testa. A mulher tenta mais uma vez :
- Nossos filhos ! Nossos ! Só nossos ! De mais ninguém ! PENSA neles !

Duciovaldo se atira no chão . Em prantos, joga a arma para debaixo da mesa e grita resignado :
-Te amo , sua vagabunda ! Te amo.

Rose pega a mala, passa por Duciovaldo , chuta-lhe o corpo inerte, abre a porta de casa  e sai pela rua cantando a canção preferida.





Adquira o livro Só as feias são fiéis diretamente no site http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=186&idProduto=187  




23 de set de 2010

A NAMORADA DEZ

        Nove  da noite . Assim que o telefone toca,  Eduarda voa em cima do aparelho :
- Pode deixar que eu atendo ! É o Gilberto, mãe. Vou falar no quarto. Não deixa ninguém me incomodar.
O romance começou com uma amizade. Ia completar um mês de  namoro . A voz de Eduarda se torna doce :

- Oi , amor. Tudo bem ?
- Mais ou menos.
- O que aconteceu ?
- Problema de família. O programa de final de semana já era... Sabe como é...
- Não vamos sair amanhã  ? Poxa ,Gilberto.... um mês de namoro ?
- Era sobre isso que eu queria falar..... Não vai dar...
- Mas logo amanhã ? Por quê ?
- Combinei de ir para a casa do meu pai, a gente não se vê há dois meses , o velho ligou cobrando....todo magoado...
- Sei....
- Maior vacilo se eu não passar o final de semana com ele.  Sem problema ?

Desanimada com a notícia, Eduarda tentou disfarçar a decepção com uma certa ironia na voz :
- Se é por uma boa causa.....
- Sabia que você ia entender. Você é DEZ.
- Sou o quê ?
- Dez.
- Dez ???? Dez o quê ?
- Tá  surda ? VOCÊ É DEZ !
- O que é uma pessoa dez pra você ?
- Sei lá....uma pessoa dez é uma pessoa dez.
- Dez o quê ?
- Vai Eduarda, não esforça. Você é dez.  
- Sou um número para você ? Me avalia ?  Dá nota ?
- Só porque eu disse que você era dez tá cheia de questionamentozinho pra cima de mim ? Ficou puta porque a gente não vai sair amanhã.  Não faz drama, Eduarda.
- Não é drama. Pensei que me avaliasse como mulher. Não sou uma nota. Uma prova...aliás, não estou participando de nenhuma avaliação.
- Sei que você é exagerada, mas assim tá indo longe demais...fiz um elogio e você entendeu mal.
- Se você tivesse me chamado de tesão, gostosa, especial...sei lá, até mesmo de chata ,  juro, ia ficar mais satisfeita. Mas dez ?
- Tá . Tira o  dez. Esquece. Você é gostosa. Pronto. Encerra o drama !
- Agora não dá mais para tirar , já  falou.

Eduarda estava  disposta a continuar batendo no mesmo assunto:
- Você sabe o que é uma pessoa dez ?
- Sei.
- Não sabe, não soube me responder.
- Tá, então explica.
- Dez é uma pessoa legal....o porteiro aqui do prédio é dez : atende todo mundo com um sorriso no rosto.  O pipoqueiro da esquina é dez, deixa a gente comprar fiado. A  minha colega de faculdade é dez...dez é pouco. É nada. Quando você não tem o que dizer de alguém diz que a pessoa é dez.

- Mas você não é pipoqueiro...não é porteiro...não é coleguinha... E não falei por mal. Entendeu ? Esquece. Passa uma borracha. Você é minha namorada.
- Era.
- O quê ?
- Era. Acabou.
- Tá de sacanagem ?
- Não. Acabou. Dez é ridículo. Poderia ser chamada de dez pela minha prima...pelo colega bobão.......mas pelo namorado ?
- Você está querendo arranjar uma briga. Não tem sentido...
- É assim que começa, Gilberto. Primeiro me acha dez, depois diz que tem admiração...me acha legal e aí vem com aquele papinho de todo homem.
- Que papinho , Eduarda ?
Ironicamente Eduarda tenta imitar a voz de Gilberto :
- Você é dez. Te  admiro muito ... você....é  legal, mas tão legal que é melhor sermos amigos. Não quero te magoar....você merece coisa melhor.
- Você está colocando palavras na minha boca. Por que  acha que vou dizer isso ? Está dentro de mim?
- Aconteceu exatamente assim com uma amiga. E como os homens são todos iguais....estudam no mesmo curso......sou a próxima.

Gilberto ficou sem ação  com os questionamentos de Eduarda. Sabia que ela era teimosa, mas não imaginou que um simples dez causaria tanta confusão. Ficou  perdido.  Sem muita convicção, tentou contornar mais uma vez :
- Já disse para esquecer...passar uma borracha...
- Não dá para voltar atrás. Já falou. Acabou. Sou dez para você. Quem você acha que vai seduzir com esses elogios  prontos? Com essas frases feitas ?

Gilberto tentou brincar :
- Você está de TPM ? Brigou com a sua mãe ? Foi demitida ?

- Não. Sou  dez. Vou até fazer um comercial . Aparecer na tv  com cara de boba com aquele imenso sorrisão e o locutor vai anunciar : senhoras e senhores, a garota dez !
 Gilberto não tinha mais paciência para argumentar. Percebeu que nada do que dissesse  faria diferença .  Eduarda continuava  ressentida  :

- Tenho certeza que pensa que sou doida.
-Sabe do que mais ?  Advinhou meu pensamento. Você é louca paranóica  !
- Há uns dois minutos atrás eu era dez , agora sou louca ? Muda rápido de opinião , hein ?
-  Quem vai ficar maluco com esse papo sou eu.
- Se  ficar maluco não vai  fazer diferença. Depois de dizer que sou dez, estou pouco ligando para você. Sedutor barato !
- Eduarda, ninguém vai acreditar ! Só porque eu disse que você era dez...!?
- E ainda acha que não é nada demais ?  Não repete. Me deixa com raiva. Dez....dez....! Acho melhor você renovar seu estoque de elogio porque esse é muito pobre.  Gosto de homens mais criativos....
- Sabe do quê mais , Eduarda ? Você é uma neurótica...vai se ......

Não completou a frase.  Eduarda foi mais rápida. Desligou o telefone, sacudiu os ombros, deitou-se na cama, olhou para o teto  e pensou com a  maior naturalidade  : “ os homens são entediantes.... dez, vê se pode !? “
Virou para o lado. Cinco minutos depois, dormiu.