5 de outubro de 2009

TARADO POR CALCINHA


Pericles adorava calcinha . Sonhava com calcinha, venerava calcinha. Quando criança, amava espiar a mãe e a irmã pelo buraco da fechadura. No banho, deliciava-se quando, por um descuido, elas deixavam as calcinhas penduradas no box. Ao completar 22 anos tornou-se um obsessivo pela roupa íntima feminina. Familiares e amigos acreditavam que só um psicólogo poderia entender-lhe a tara. Sempre que uma mulher o interessava, logo ele perguntava curioso:
- Eu sei que pega mal, mas por favor, não se ofenda com o que vou perguntar. Poderia me dizer que tipo de calcinha você gosta de usar?
As mulheres sentiam-se invadidas com a pergunta e o romance acabava antes de começar. As amigas o achavam um boboca infantil. Ele não se importava. Ria de fazer borbolhas. Na mesa de bar, com dedo em riste, defendia suas idéias como se estivesse num palanque. Ficava vermelho e se engasgava com os petiscos.
-Não admito ir para a cama com uma mulher de calcinha furada e grandona e nem com calcinha de florzinha. Não sou pedófilo!
Recebia conselhos:
-Cara, tá certo que você gosta de calcinha cavadinha, preta, sensual, também gostamos. Mas ficar perguntando isso pra mulher que você acabou de conhecer é grosseria. Não se mede uma mulher pela calcinha que ela usa.
Pericles retrucava:
-Você transaria com uma mulher com a calcinha suja? Rasgada? Melhor broxar antes do que broxar na cama.
Nas festas ou baladas os amigos ignoravam Péricles. Não queriam passar vergonha . Na cara-de-pau, ele perguntava ás desconhecidas nas baladas:
-Que tipo de calcinha você gosta de usar?
Se recebia um fora, disfarçava e arrumava outra vítima.
-Posso ver sua calcinha? Deixa?
As mais desinibidas levavam na brincadeira e o chamavam de excêntrico. As mal humoradas, porém, partiam para a agressão verbal e o chamavam de bêbado. Nem assim tomava jeito. Ainda contava para os amigos gargalhando:
- Se a vadiazinha ficou ofendida é porque devia usar calcinha ordinária.
O coração de Pericles bateu mais forte quando conheceu Leninha. Moça linda e com sorriso de capa de revista. Era prima de um grande amigo. Encantou-se pela morena e abriu o coração para Reginaldo, que o preveniu:
- Vai com calma, é minha prima! Se ficar de palhaçada vai se ver comigo. É meu sangue.
- Pode deixar. Fica tranqüilo.
O namoro completou um mês. Meio a contragosto, Péricles segurou a curiosidade a respeito das calcinhas da moça . Tentando se controlar, pensava: “Uma mulher bonita só pode usar calcinha sensual. Ela é a mulher da minha vida”.
A primeira e única noite de quase amor entre os dois aconteceu na casa da namorada. Estavam sozinhos assistindo a um DVD. Depois de duas taças de vinho, começaram as carícias. Quando Pericles levantou o vestido de Leninha, gritou assustado:
-Cueca ??!! Isso não é uma calcinha !!!?? É uma cueca do piu piu!
Com voz adocicada, ela o puxou pela nuca:
-Qual o problema, amor? Gosto de usar cueca. São mais confortáveis.
Vem, gostoso, tira a minha cuequinha.Ele perdeu o tesão. Broxou. Teve ânsia de vômito. Tonto, empurrou Leninha, vestiu-se e saiu se batendo pelas paredes. Nunca mais viu a jovem.
Revoltado, Reginaldo tomou satisfação:
- Você é um desequilibrado. Precisa de um psiquiatra. Como você pôde humilhar minha prima assim, cara? Louco de pedra!
Péricles não se intimidou:
- Sou como sou. E pronto. Não gostou ? Então bate.
Para evitar futuras decepções, Péricles passou a comprar calcinhas e distribuir entre as ficantes e namoradas. Em casa, tinha uma coleção delas, de todas as cores, modelos e tamanhos. Quando conhecia uma mulher, no primeiro dia presenteava-a.
- Na nossa primeira vez, faço questão que você use a calcinha que eu escolher. É um presente.
Aliás, sempre que a gente tiver relações, quem escolhe a calcinha sou eu!Pericles está casado com Mirialva há dois anos. Até hoje é ele quem compra as calcinhas da esposa

5 comentários:

tossan® disse...

Esse tem personalidade, realmente mulher de cuecas na primeira vez é muito pra minha cabeça. Calcinha e o cheiro são os cartões de visita da mulher interessante. Li todos os contos e gostei também do Santo Expedito! Geniais! Beijo

Alma inquieta disse...

Olá Celamar!

Parabéns!
Adorei, mas receber calcinha de um homem logo no inicio..., vai devagar com o andor...!

Um beijo de Portugal!

Fabrício Romano disse...

Prefiro o recheio. Adorei o texto. Abrçs.

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" disse...

Nossa, demorou pra ele pensar nessa solução tão simples...

O Maltrapa disse...

Acho que uma calcinha furada pode ser bem mais interessante que a paranóia do Péricles. Claro que se for de branca, com rendinhas e bem cheirosa, tanto melhor!

Gostei do texto. Tem a ver com um que postei ontem (e que também tem a calcinha como uma das protagonistas). Querendo, apareça para uma visita!

Abraço,

O Maltrapa